Efeitos nostálgicos sem valor.

Faz quanto tempo mesmo? Uns dois anos que tudo aconteceu. Eu era uma boba apaixonada em oculto, ninguém sabia das minha falsas esperanças e projetos feitos na constância de uma nuvem. Meus amigos me davam conselhos, me diziam pra eu sair dessa. Eu sai, mas não de um jeito recomendável. Quantas vezes olhei para os céus desejando apenas um encontro casual contigo, só pra poder te ver, só pra poder transformar meu dia. A gente nunca sabe de quem vai gostar, não é mesmo?

Assim como o mundo, a vida dá voltas. E lá estava eu, sentada, distraída e ocupada quando de repente, citam seu nome. Fiquei constrangida por que sabia quem era enquanto todos ao meu redor não faziam a mínima ideia de quem era você. Para minha surpresa maior você está ficando com uma conhecida minha. Não esperava ter reagido do jeito que reagi. E me surpreendi com meu feito.

Quando anotei o seu nome e o dela, quando ouvi o seu nome nada me veio a cabeça, apenas que você era um conhecido meu e que estava ali, junto com uma conhecida minha. Nada anormal, para os outros. Pra mim, foi atípico e bem, vitorioso. Eu jamais imaginaria que um dia eu fosse reagir tão alheiamente à alguém que já me fez chorar em frente da tela de um desktop, alguém que me fez pedir aos céus para encontrar, alguém que me fez ver o quanto eu era uma bobinha apaixonada. Eu escrevi textos pra você! Eu sonhei com você! Haha, como isso é engraçado, caramba! A vida é uma caixinha de surpresas…

Não esperava de mim essa reação porque não lido bem com antigos amores. Esperava aquele choque, aquele frio na barriga, aquele medo de te ver, mas nada disso veio. Superei tão bem e meu coração está tão ocupado ultimamente que aquelas lembranças, aquela nostalgia, não tem mais nenhum valor sentimental. Apenas memórias.

Acabei de aprender que a gente supera qualquer romance, desde que se dê tempo ao tempo. Não importa o quanto seja grande o sentimento, um dia se supera. Eis aqui um exemplo.

P.S.: Não te menosprezo, isso aqui é apenas meu brado de vitória, de libertação. De amadurecimento diante do coração.

Anúncios

Aviso de Segurança.

Esse texto é para aqueles que tem coração desavisado. Aquelas pessoas que vão andando, andando e de repente, o coração tropeça e você é capturado por um simples olhar. E aí, a desgraça foi feita. Segue-se um sorriso, um “Olá” meio acabrunhado e você segue sua caminhada, só que dessa vez, olhando para trás. Afinal, você quer saber aonde está indo aquela que te fez parar no meio do seu caminho.

Agora, você esqueceu aonde ia, o que ia fazer e o que está faltando na geladeira. Só resta voltar pra casa e pensar no que aconteceu… Os dias passam, as horas voam e o seu sorriso ocupa um lugar permanente. A vontade de estar junto é maior do que a distância. Vocês conversam, vocês flertam, vocês namoram. E tudo vai bem, até que…

Todas as relações tem um “até que…”, e a sua não vai ser diferente. Até que a distância vem e separa tudo, por exemplo. Você não acredita quando ouve a notícia de que será um mês de distância. E agora? O que faremos nós? É uma pergunta sem muita possibilidade de resposta.

E agora? Agora tome cuidado pra o seu coração não tropeçar de novo. Tome cuidado pra que, por causa da distância, ele não tropece quando você dobrar na esquina e o que é virar o que não é mais. O coração é mais torto do que você imagina. Não faz ideia! Não importa o quanto você esteja envolvida numa relação, tome cuidado com os tropeços do coração. Qualquer brecha pode ser fatal.

É por causa dessa falta de cuidado que se começam as brigas, as intrigas, as caras feias, as piadinhas e por aí vai… Não se cuidou, a brecha se abriu e agora, o sorriso dá lugar as lágrimas. Jorrarão muitas lágrimas e se dirão muitas palavras até que finalmente, seu coração perceba o que ele fez. Tenha paciência, os dois. Mas repreenda, mesmo assim. Pra não acontecer de novo.

Se for necessário, ande de cabeça baixa. Evite contato com as coisas que você sabe que podem fazer seu coração tropeçar. Quando seu coração quiser ir para a direita, ande pela esquerda. Ele quer tropeçar, e você é a responsável para que isso não aconteça.Torne-se uma pessoa vista como louca se isso for o necessário para a preservação daquilo que é e que deve continuar sendo.

A pessoa errada pra mim.

“Pensando bem em tudo o que a gente vê e vivencia
e ouve e pensa, não existe uma pessoa certa pra gente.
Existe uma pessoa que se você for parar pra pensar é, na verdade, a pessoa errada.
Porque a pessoa certa faz tudo certinho!
Chega na hora certa, fala as coisas certas,
faz as coisas certas, mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas.
Aí é a hora de procurar a pessoa errada.
A pessoa errada te faz perder a cabeça, perder a hora, morrer de amor…
A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar
que é pra na hora que vocês se encontrarem
a entrega ser muito mais verdadeira.
A pessoa errada, é na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa.
Essa pessoa vai te fazer chorar, mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas.
Essa pessoa vai tirar seu sono.
Essa pessoa talvez te magoe e depois te enche de mimos pedindo seu perdão.
Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado, mas vai estar 100% da vida dela esperando você.
Vai estar o tempo todo pensando em você.
A pessoa errada tem que aparecer pra todo mundo,
porque a vida não é certa.
Nada aqui é certo!
O que é certo mesmo, é que temos que viver cada momento, cada segundo, amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo,
querendo, conseguindo…
E só assim, é possível chegar àquele momento do dia em que a gente diz: “Graças à Deus deu tudo certo”
Quando na verdade, tudo o que Ele quer é que a gente encontre a pessoa errada pra que as coisas comecem a realmente funcionar direito pra
gente…

Luis Fernando Veríssimo

Insônia, insegurança, ilusão.

Em meio a um abraço maior do que eu, pela primeira vez, pude sentir todas as coisas sobre você que eu sonhava. Não sei bem o que, mas acho que como você me abraçaria, ou como tudo se encaixaria, como meu coração se encontraria com o seu lado direito… coisas assim, coisas melosas que me fazem parecer uma adolescente de doze anos, e não aquela pessoa madura ao qual você me descreve. Eu queria abraçar você, queria uma despedida. Foram dois meses, e eu não queria que tudo terminasse com uma conversa triste, a daquele dia. Eu não falei nada, não expressei, porque o que eu queria estava dando certo. Um abraço não simples, não rápido, não improvisado. Pensado e confortável, como manda o figurino. Queria outro abraço desses e todas as coisas que ele me proporcionou e a certeza de todas as outras coisas que eu já te falei. Uma insônia provocada, suspiros ao bater da porta e uma imensa felicidade e sentimento que transbordou em minha oração. Efeitos colaterais latentes seus sobre mim.

Aquilo foi um “adoro você”? Não sei, o meu ouvido não é tão absoluto assim, mas só em ouvir você falar sobre mim, eu tenho certeza de que não foi algo ruim. Num piscar de olhos, eu vi os dois meses na minha frente, passando como filme na projeção de minha íris, como foi bom, como foi triste. Eu chego a pensar que o meu sonho estava me contando o fim dessa noite, só que faltaram alguns detalhes, mas nada que tirasse a essência. Foi como se tudo não tivesse tido um fim, como se aquela conversa não tivesse sido conversada e nós estamos bem.

Não sei o que está passando na sua cabeça agora, às 23:46 da noite de domingo, ou se você está dormindo, mas espero eu que isso não tenha passado batido pra você. Se tiver, que droga! Vou sofrer, vou chorar e me perguntar porque fui tão tola ao ponto de não conseguir dormir por sua causa, e porque escrevi dois textos pra você… Desejo agora que não tenha passado batido, que isso tenha tido um significado e que você lembre de mim, mas paciência, as coisas da sua cabeça, só quem sabe é você.

Ao fechar os meus olhos agora, relembro a cena, lembro o meu sonho, e o coração bate; não queria sair dali, não queria deixar você, nem ir embora. Se eu disser (achar) que pra você significou alguma coisa, ou que você também sentiu algo, estarei eu mentindo ou devaneando? Por favor, me responda. Não quero mentir pra mim mesma mais uma vez. Não me engane. Não sei mais o que escrever, descrever é impossível. Sentimentos não são descritos tão facilmente assim, não para quem vos fala. Acho que estou ficando meio doida, ou estou sentimental: o que acaba dando no mesmo. Vou sentir falta de tudo isso se tudo mudar, acredite. O que eu tive vontade de fazer? Bem, noutro dia eu te falo, não consigo descrever atitudes. Agora, eu vou deitar-me, amanhã minha vida recomeça. Dormir não, porque eu tenho o que pensar ainda. Uma coisa eu te digo: tudo aquilo que você me disse hoje, eu levarei a sério.

P.S.: O que eu disse naquela mensagem, naquela cheia de informações aleatórias, pode sim, ser um pouco de verdade.

Some chocolate, please?

Eu fico me perguntando se você vai realizar todas essas minhas fantasias bobas sobre casais. Porque significaria muito para mim. Mas parece que você não se importa, não é? Você nem lembra do nome do meu blog! Como eu poderia me sentir especial?

Eu não quero que você fique me perguntando o que você tem que fazer, eu só queria que você entendesse as minhas pistas ou lesse nas entrelinhas. Tenho que dizer que em relação aos outros rapazes, você está muito, muito longe da linha de chegada. A única vantagem sua é que bem, você já tem o lugar guardado. Eu acho que é por isso que você se esforça tão pouco, porque você sabe que no final, você é o vencedor. Enquanto os outros, eles tem que marcarem de alguma forma.

Você vai ser a pessoa que vai olhar minhas unhas para ver se estão sujas de chocolate? Você vai me chamar de “Lorelai” ou ao menos, saber que a minha série favorita é “Gilmore Girls”? E quando nós estivermos perdidos e se procurando, iremos fazer o joguinho de “Marco?” “Polo?” Eu queria que você entendesse as entrelinhas, só isso. Eu tenho entrelinhas e gostaria bastante que você as lesse e me entendesse. Se ao menos eu pudesse falar em inglês com você! Sabia que eu amo inglês? E que as coisas mais lindas que eu já planejei dizer pra você, eu gostaria de dizer em inglês? Você quer que eu te fale tudo, tudo! Será que você não poderia descobrir um pouquinho, by yourself? E, de jeito algum, venha me dizer que ficou chateado com tudo o que eu falei. Eu tenho que colocar pra fora os meus sentimentos, sabe como é né.

Será que você vai entender quando eu pedir para você baixar o arquivo 5? Poxa, eu sou um mundo inteiro construído e você não se interessa nem em sentar num banquinho que existe em mim. Será que você poderia me valorizar um pouquinho mais? Cansa eu ter que ver todos os outros ao meu redor, querendo me conquistar e você aí, só sentado olhando pra mim com cara de quem pediu e não chegou. Eu me pergunto como você descobriu que eu era louca por balé, ou será que você não sabe? Não, acho que você acha que eu gosto. É, aumentei muitas as expectativas.

Será que você vai me dar bronca por eu ter comido muito chocolate, mas vai entender quando eu disser que estava deprimida ou porque simplesmente estava com vontade? E vai saber que, quando eu estou pedindo junk food, estou pedindo um enorme sanduíche, daqueles que engordam até pessoas com metabolismo rápido?

Será que você, um dia, no meio de um dos meus ataques falantes, vai fazer com que eu cale a boca? Porque você não para de fazer as coisas que eu já disse pra você que eu detesto?!

Eu quero ter um futuro com você, mas eu não quero uma relação acomodada. Estar junto por estar. Eu quero estar junto com você justamente porque nós nos conhecemos bastante, ao ponto de suportarmos um ao outro. Só isso.

Antes de me pedir outra chance, me conheça. E não sinta ciúmes do Rui. Ele tenta ser o que você deveria.

P.S.: Pra quem zomba do meu trauma de ventiladores, acho meio difícil levar a sério esse texto. Mas ao contrário de você, existem pessoas que perguntariam para mim “porque você tem trauma de ventiladores?” ao invés de rir de mim.

O trem.

Hoje eu acordei com saudades de você. Na verdade, eu fui dormir com saudades. Um crepúsculo quente e uma noite fria é tudo o que eu preciso para me fazer lembrar de você. Lembrar do tempo que nós passamos juntos. Aquelas conversas ao pé da escada, onde planejávamos o futuro. Um futuro distante e ao mesmo tempo, perto demais. Lugar onde a gente decidiu a cor das paredes da nossa casa, ou o próximo carro que você teria. Você lembra desse futuro não é? Todos os dias, eu acho. Conhecendo você, eu sei que sim. E eu lembro também, não ache que foram palavras que eu joguei fora. Acho que as coisas que eu te falei, foram as coisas mais sérias que eu poderia dizer para alguém. Esse tipo de plano não dá pra se fazer com qualquer um que bate na porta do nosso coração e parece querer entrar.

O tempo não tem sido nosso aliado, não é? Acho que nem o tempo, nem os planos. Se eu não soubesse de tudo o que eu sei, diria que nós não iríamos dar certo. Mas nós temos um Apoio, isso ainda me traz esperanças. Aquelas esperanças que eu guardo no fundo do baú para não desperdiçar. Esperança é coisa cara hoje em dia, item de colecionador, eu tenho que dizer.

Já pegamos o trem quantas vezes, três? E sempre paramos nas estações erradas. Acho que o maquinista está querendo nos dizer alguma coisa que eu ainda não entendi, nem você. Esse trem nunca passou de forma tão rotineira na minha vida, acredite. Geralmente passava uma vez, até duas se fosse intenso. Mas três, três não. É demais. E ele sempre passa de forma devagar, para que eu suba sem cair. E o combustível nunca acaba. Quem o abastece? Acho que Aquele sentimento que Ele te deu, sabe do que eu estou falando, não é?

No meu lugar, o trem já teria parado. Há muito tempo, sim. Não sou de insistir numa coisa que parece não dar certo, mas você é diferente de mim. Tão diferente e tão igual. Acho que as minhas imperfeições completam as reentrâncias que existem em você, porque não é possível. É completo demais para não ser assim.

Ontem, naquela noite fria que me trouxe essa carência, eu lembrei. Lembrei do que ficou para trás e pensei em tudo o que acontece, sabe? Tudo isso, esses planos, essa perfeição, vem direto do Trono. E você não pode negar isso. Acho que Alguém está sentado agora, torcendo por nós dois. E quando eu dou as costas, esse Alguém fica indignado; como alguém que assiste novela mexicana e fica com raiva quando a mocinha abandona o mocinho. Só que esse Alguém faz com que o trem ande de novo.

Eu não sei muito bem o que vai acontecer daqui pra frente, digo isso a você. Vou ser sincera. Minha reação pode ser totalmente contrária as suas expectativas. Mas, existe algo bom preparado para nós, algo lá no fundo me diz que sim. Tem algo sussurrando pra mim, dizendo que é o correto a se fazer. Pensar num futuro a dois. E é nisso que eu gostaria de pensar com você.

Acho que o trem está vindo de novo, vou deixar ele chegar mais perto, para saber se é o trem certo. Hoje eu acordei com saudades de tudo, hoje eu acordei com saudades de você.