Textos e segredos.

Como qualquer ser humano normal, eu tive minhas fases. Já fui revoltada, já fui profunda, já fui rasa. De católica à anarquista. De (tentativa) emo à pop culture. De todas essas minhas fases, a que mais me deixou coisas valiosas ou algum traço na minha personalidade, foi a minha época de profunda.

Eu era aquele tipo caladona, estressada e chorona. Gostava de debates polêmicos e músicas trash e heavy metal. Não, eu não usava roupas estranhas. Usava muito preto, o que ainda acontece hoje, mas nenhum detalhe em particular que fazia você me ver como uma punk. Nesse meu tempo que passei trancada dentro de mim, comecei a me descobrir e comecei a pensar sozinha, sem auxílio de ninguém. Chorava muito, e isso fazia com que as pessoas tivessem medo de mim, então eu tive que encarar os meus medos. Mostrar pra eles, que eu não era uma menininha mimadinha, eu só tinha alguns traumas inexplicáveis. Sempre fui muito tagarela com coisas fúteis e acho que isso é uma coisa que eu não conseguirei parar de ser, apesar de ter amadurecido alguns anos em poucos meses.

Nessa minha época dark, que se estendeu por uns quatro anos, eu cometi (muitos) erros. Fiz coisas que não faria na consciencia que tenho hoje. Foi a minha época de tentativa e erro. Eu era tola, o que posso fazer? Já tentei esquecer o meu passado, algumas coisas, já esqueci. Mas existem outras que devem ficar na lembrança, pra que sirvam de lição pra mim, ou de conselho pra alguém.

Eu li algumas filosofias de pensadores famosos. E acabei criando as minhas. Algumas, deixei pra trás; outras, continuam guardadas numa gaveta no armário chamado personalidade. Uma dessas coisas é nunca contar as minhas verdadeiras intenções por trás de algo escrito. É não dizer se o texto é baseado em fatos reais, ou ficção. Você tem que descobrir por si só, embora eu ache que alguns vão tirar conclusões erradas. Até porque não existe um texto que seja totalmente fictício. De uma forma ou de outra, o seu subconsciente vai colocar alguma lembrança dolorosa sua naquele texto, ou parágrafo ou linha. Nada está isento de nós. Ao escrever o texto, alguma lembrança sua será evocada e você começará a pensar sobre ela e quando perceber, um parágrafo meio metafórico foi escrito. Os meus textos são reais, na minha cabeça. Ao lê-los, pensem em mim e em vocês. Interprete-os da maneira que quiser. Talvez um pedaço de vocês, esteja ali.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s