Insegurança imatura.

Toda menina que usa internet, vê aqueles blogs super famosos e lindos e sempre almeja ter um. Comigo, é diferente e é igual. Igual porque eu realmente gostaria que todos lessem o que eu escrevo e entendessem o que se passa dentro de mim. Entender um pouco do que passa dentro da cabeça daquela menina falante e sem postura. Às vezes me sinto como se estivesse falando sozinha, dizendo meus segredos pra mim. Segredos que continuam sendo segredos, enfim. Mas então, eu começo a pensar diferente. Aqui existem os meus segredos, as coisas que eu não consigo falar pra ninguém, então como eu poderia jogá-los ao vento e deixar que qualquer um leia? É como se um estranho entrasse no seu quarto e te flagrasse conversando com o seu ursinho de pelúcia. Olhar pras pessoas e saber que ela lê o seu blog, e que aquele desabafo, ela leu. Minha vontade de espalhar isso aqui pro mundo é uma tentativa de ser útil pra alguém. Mostrar pra alguém que eu me importo, e que eu tenho sentimentos. Eu deveria me permitir abrir um pouco, ser mais liberta das minhas próprias cadeias, dos meus próprios limites. Mas eu não sou madura o suficiente pra me encarar no espelho. Pra mostrar pro mundo quem eu sou, apenas pra um grupo seleto. Eu espero que um dia, os meus amigos leiam e o meu blog seja algum refúgio pra alguém. Por enquanto, eu vou falando sozinha, contando os meus segredos pra mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s